Vagueando pela Fnac...

Meus caros leitores: a minha leitura vai lenta (pois, se ainda há pouco tempo tinha um ritmo veloz, agora está mais lento que nunca...). Mas atenção: estou a gostar do livro! As razões são outras...

De qualquer maneira, tenho sempre algum tema para escrever!

Ontem, passei pela Fnac. Para (MUITA) infelicidade minha, não comprei nada =( (espero que brevemente seja recompensado, a ver vamos...).
Mas não deixei de apreciar as... centenas de livros expostos.

São tantos os livros... Mas tantos, e ainda por cima, quando vamos a ver, queremos ler vários! Bolas, é nestas alturas que penso: "Ainda não li nada"... ou "Tenho demasiado para ler...", e fico desapontado ao saber que, afinal, nunca poderei ler todos aqueles livros.

Mas talvez seja bom sinal! Quer dizer, a vida não pára, as coisas avançam... E todos os dias livros são publicados.
Nunca sentiram essa sensação? De estarem numa livraria e verem que os livros são infinitos? Que, afinal, ainda temos demasiado para ler?
Ainda por cima não comprei nenhum, foi pena... =/

Outra coisa que reparei, na Fnac e não só: os preços! Sim, não venham dizer que não está caro, está caro sim senhor! São raros os livros que não rondam o preço de 15+ euros! Que despesa! Uma pessoa quer comprar dois livros (só) e, no mínimo, gasta logo 30 euros! Para leitores mais assíduos, a mesma quantidade poderá valer 40 euros! Meu Deus, eu quero livros, mas o preço é condicionante.

Por fim, algo que só ultimamente reparei, e que me deixou deveras curioso, e que só revela o estado da situação: há cada vez menos livros de bolso! Sim, os livros de bolso, esses livros que se podem levar para qualquer lado, e que são baratos! Esqueçam, desapareceram, os grandes clássicos só se vendem em grandes livros! Claro, quando uma pessoa quer comprar, e se o título está disponível, torna-se absurdo encomendar a edição de bolso, mas é curioso que o mais barato está a desaparecer... Acho que é mais uma prova em como se quer fazer gastar/ganhar dinheiro! Fiquei admirado por ver poucos livros de bolso, e os mesmos títulos em livros de maiores dimensões. Eu lembro-me, antes não era assim!

E por hoje paro de falar, amanhã há mais... ;) Espero pela vossa opinião sobre o assunto!

17 comentários:

gota de água disse...

Esse é o meu maior problema no que toca a livros... Falta de preços que estejem disponíveis para a minha triste carteira ^^
Sempre que vou à Fnac entro no meu Mundo. Aquela lojinha facinante moi-me o juízo. É o unico sítio em que eu me perco horas e horas, só à procura de novas descobertas...

Bem, mt obrigada pelas palavras no meu blog. Há dias em que só apetece mesmo desaparecer... =/

bjs*

Butterfly disse...

É uma realidade que os preços dos livros não são muito acessíveis, mas tens sempre como alternativa o serviço de empréstimo domiciliário das Bibliotecas ! ;)

Bjinhos e Boas Leituras !

Beαtriz disse...

Sim Pedro, tens razão. Cada vez se ouve dizer mais que os pais têm de incentivar os filhos à leitura blábláblá, mas o que é certo é que comprar livros não é para todas as carteiras. Famílias que só ficam com 150 euros para gastar num mês depois de ter pago as despesas ditas "normais" (água, luz, gás, etc.) fica de certeza muito apertado, daí a falta de cultura de algumas pessoas. Depois também há aquelas que podem comprar, mas que acham a leitura "uma seca". É triste realmente.
Eu nunca vou à Fnac para comprar livros, vou sempre à Bertrand, porque acho que tem mais benefícios para quem é sócio, e lá ainda existem bastantes livros de bolso, a 5,7,8€. Mas também sou sincera, prefiro comprar o livro "normal" ao de bolso...não sei porquê, acho que é uma mania.
O meu pai diz que sou a desgraça da carteira dele. Já me disse que é para vender os livros depois de os ler, mas não sou capaz de me desfazer deles. Ás vezes aptece esfolhear novamente o livro e ler algumas passagens...
Já agora aproveito para dizer que há uma campanha na Bertand que se chama "Verão em festa", em que estão 28 livros (alguns até interessantes) a preços acessíveis (de €10 a €5). Está no site também. ;)

Ferncarvalho disse...

Tens toda a razão, sim senhora!
Os livros estão caríssimos.
Ainda ontem, visitei a Byblos, que com tanta publicidade me tinha deixado curiosa. Escusado será dizer que me deixou desiludida.
Os preços são iguais aos practicados na Fnac, aliás, a própria livraria é quase uma cópia da Fnac. E para além disso fui testemunha de publicidade enganosa! Apresentavam por todo o lado o anúncio "Até 15 de Setembro, livros com 30% e 50% de desconto". Após procurar nas várias "ilhas" de livros espalhadas pela loja resolvi perguntar. Afinal os ditos descontos só eram aplicáveis aos livros estrangeiros e a grandes volumes sobre arquitectura, fotografia, etc...
Enfim...
Bem, o meu comentário vá vai longe (é o que acontece qdo falamos sobre temas que nos apaixonam)! ;) Por isso fico-me por aqui, acrescentando apenas que gostei do teu blog e hei-de voltar.
:)

Canochinha disse...

Hoje passei pela FNAC do Colombo e pela segunda vez em pouco tempo mudaram a disposição dos livros, o que fez com que tivesse de andar por lá mais tempo a ver as novidades :) E acabei por comprar 2 livrinhos!
Tenho muitas vezes a sensação que nunca vou conseguir ler tudo o que quero e nem preciso entrar em livrarias para isso... basta olhar para a minha pilha de livros!!
Quanto aos livros de bolso, discordo um pouco. Tem havido várias iniciativas de novos livros de bolso, para além dos Booket: agora a Bertrand também tem alguns, tal como a Quidnovi. Espero que a tendência se mantenha!

sonjita disse...

Olá Pedro!

Sim, também tenho a mesma sensação. Às vezes numa Fnac qualquer ou numa feira do livro a vontade é de enxer o saco e trazer tudo... adoro livros, pela história que contêm, pela magia que envolvem, pelas asas que nos dão, pela imagem, pelo contexto, pelo cheiro... por tudo!!! Tenho muita pena que últimamente não tenha tido muita oportunidade de ler... ou porque há muito trabalho ou porque a vontade é pouca... mas já me conheço e sei que são fases, um dia destes o apetite volta e aí volto a devorar!!!
Um aspecto que, tal como tu, não gosto nos livros é o preço... são realmente muito caros. Quando tentam incentivar a leitura e afirmam que os nossos jovens não lêem, este aumento dos preços acaba por ser um contrasenso... enfim!!!
Eu acabo por fazer boas compras nas feiras do livro e na secção de "em 2.ª mão"... em primeiro pelo preço mas também pela história acrescida que trazem pelas mãos por onde já passaram... adoro aqueles que trazem dedicatórias!!!!!

BJoka

P.S. É bom que não tenhas tido tanto tempo para ler... faz bem ter outras distrações ;)

Iceman disse...

Viva Pedro.

Deixas à discussão alguns factos que devem ser discutidos e alguns ai nível dos editores vs governo.

Mas vamos por partes.

Também eu sinto que ainda não li nada, ou li muito pouco, quando me desloco à Fnac ou a qualquer grande livraria. Os títulos são mais que muitos e saem a um ritmo diário. Isso tem sido alvo de algumas discussões e tantos os editores como os autores referem que não temos mercado para tanta edição, até porque depois há muitos bons livros que têm pouca ou nenhuma visibilidade, ao contrário de muitos maus livros que devido às potências editoriais que têm por trás, algumas delas estrangeiras, beneficiam de imensa publicidade que transforma qualquer bodega em best-seeler.

Isso entroca obrogatoriamente no alto preço dos livros. Concordo plenamente que os mesmos são ordinariamente altos. Repara-se que focas os livros de bolso, no entanto isso é uma falsa ideia, pois os livros de bolso mais recentes têm preços quase idênticos aos dos formatos convencionais. Como não se vendem, essas grandes superficies preferem ter à mostra os outros livros.

Entroncado no preço está, ovbviamente, o problema de muita gente não ler porque os livros estão caros. No entanto, a meu ver, é uma falsa questão e também uma excelente desculpa para não se ler.

As bibliotecas existem para quê?

Actualmente compro uns 10 livros por ano e a maior parte deles nas três feiras do Livro, nos anos e no Natal. Leio em média cerca de 40 livros ano. Ou seja, a grande maioria dos livros que leio vou buscá-los às bibliotecas que, ao contrário do que muitos pensam, têm muitos livros recentes. Assim tenho lido livros que dificilmente os iria comprar. Tenho lido clássicos, descoberto novos autores e novos tema. Logo, para mim, e repito, embora concorde que os preços estejam abjectamente altos, mas o preço para mim não representa um obstáculo, pois tenho sempre pilhas de livros para ler.

Logo o preços dos livros não é desculpa para não se ler ou ter acesso a livros. As pessoas não lêem porque não querem, aliás, os portugueses são um povo extremamente inculto e nada dado a questões culturais.

No entanto urge uma discussão ao alto nível acerca dos preços dos livros, pois sabe-se que o autor fica com 10% (os grandes autores), logo 90% do preço do livro abarca o quê?

JPD disse...

Olá Pedro

Os livros estão caros.

Acho que ja se lê muito mais.
Por essa razão gostaria que preço das edições fosse mais acessível.
(Em altura de crise, os primeiros cortes vão logo direitos à leitura)

A FNAC não é diferente das outras livrarias, também vend espaçopara promoções. Se as editoras que editarem livros de bolso não desembolsarem, provavelmente nós ve-los-emos menos assiduamente.

Um abraço

biazinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
biazinha disse...

É verdade, os livros estão caros, assim como qualquer opção de lazer que envolva cultura: show, teatro, cinema...
Quem não tem muita bagagem acaba prescindindo dessas coisas em prol de opções mais baratas.
vou muito em feira de livros e brechós.

Beijos.

Antunes Ferreira disse...

LISBOA * PORTUGAL
ferreihenrique@gmail.com


Boas

Por fnac; podias ter comprado o me(a)u «Morte na Picada»... Há lá. E foi lançado lá, a 15 de Abril, no Colombo. Se não adquiriste, volta lá e compra. Não é um pedido - é uma ORDEM! Hahahahahahaha

Passei hoje por aqui para te dizer olá! E ver como vão as coisas. Pelo que vejo, felizmente bem. Repito: gosto deste blogue. Virei cá sempre que puder pois entendo que o mereces – e dá-me prazer.

Espero também que voltes ao meu Travessa do Ferreira (www.travessadoferreira.blogspot.com). Ou que o visites pela primeira vez. Ficarei, podes ter a certeza, muito satisfeito.
Qjs/Abs

Sofia disse...

Olá Pedro ;)
O meu drama é pensar em tudo o que ainda gostaria de ler na vida, sabendo que sera impossível de realizar.
Infelizmente não posso passar o dia a ler e mesmo se assim fosse não acredito que conseguisse ler tudo o que desejo.
Mas enfim é uma realidade com a qual temos que lidar e só podemos tentar aprender a ser selectivos e ler aquilo que realmente nos dá prazer.

Quanto ao preço dos livros realmente é um abuso e é só mais uma razão para que as pessoas não leiam. De qualquer forma isso não é obviamente desculpa porque existem outras formas como já muito bem se disse aqui. Quando a vontade é muita, há sempre maneira.
Eu gosto de ter os livros que leio, é uma mania talvez. Mas caso me visse limitada à compra de livros, recorreria sem dúvida a bibliotecas.

Um tema que tem muito que se debater ;)

Borboleta disse...

Concordo com tudo o que disseste. É simplesmente uma vergonha! Os livros deveriam estar ao alcance de TODOS, não apenas dos que têm mais poder de compra.. :( **
p.s: estou a adorar "Os Pilares da Terra" ! :D já não consigo pousar o livro.. ;)

Pedro disse...

Gota de água,
qualquer livraria torna-se também o meu Mundo, e sou capaz de ficar lá o dia todo para descobrir novos livros! Só é pena quando saio de lá sem nenhum...

Butterfly,
pois, mas eu não sou pessoa de ler emprestado. Para mim, ler o meu livro!

Beatriz,
já muita gente nem liga a isso, para não perderem tempo! Quer dizer, desde quando é que se perde tempo com um livro?!
Em Portugal, pelo menos, está cada vez mais difícil poupar!
Geralmente passo pela Fnac, mas frequento uma livraria aqui no sítio, que é muito mais acolhedora a nível de atendimento. E tem os livros que quero!
O meu pai também diz que gastou uma fortuna em livros, e para poupar espaço alguns podiam servir de lenha! =O
xD
Tens a mesma mania de leitor que eu! Também prefiro os grandes volumes!

Ferncarvalho,
bemvinda!
Acredita, outros bloguistas comentam muito mais extensivamente ;) Podes escrever à vontade!
Nunca visitei a Byblos, porque sempre pensei que seria mais uma livraria. Mais uma, pronto. Parece que não me enganei.
Essas publicidades enganosas são frequentes!
Obrigado pela apreciação =)

Canochinha,
pois é, estão sempre a mudar a disposição dos livros, também noto isso!
Desta vez, sai de lá sem nada.
Sabes, não quero dizer que não existem promoções dessas, mas os livros de bolso parecem escondidos, pelo menos na Fnac! Até há edições de bolso Fnac de várias obras, e a última vez que lá passei não encontrei esses livros (precisamente na do Colombo)!

Sonjita,
encher o saco, quem me dera! Isso é precisamente o que acontece quando vou a feiras, que são a minha salvação (ou perdição, conforme o ponto de vista... xD).

Iceman,
pois, é pena que bons livros fiquem escondidos por best-sellers puramente publicitários, ou mediáticos, livros cuja preocupação é... vender, nada mais.
Quanto ao preço dos livros de bolso, é quase sempre mais razoável do que os grandes volumes... Estás a explicar o facto dos livros de bolso estarem escondidos, e embora aceite acho que não justifica completamente.
Não sou leitor que lê de bibliotecas ou emprestado, um livro prefiro que seja o meu! Gosto de o guardar na estante para o folhear quando quiser! Claro, para quem é como tu, aproveita bastante ;)
Desconhecia essas percentagens! =O Obrigado, parece que tenho tema para discussões...

JPD,
parece que as pessoas lêem porque há uma série de livros mediáticos que nos empurram.
Eu adorava comprar livros mais frequentemente, mas é cada vez mais um sonho! =(
Sim, a Fnac tem promoções, não ponho isso em causa! Quando lá fui, vi umas duas ou três.

Biazinha,
é verdade, e eu já não vou nem a concertos, nem ao cinema, nem ao teatro há imenso tempo, é verdadeiramente caro! Tenho muita, muita pena!
Procuro as feiras de livros porque acabo por comprar mais ;)

Antunes Ferreira,
olha, podes crer que há de ser um dos próximos livros a comprar! ;) Aliás, hei-de fazer uma sugestão dessas aqui no blog! Ainda bem que avisas ;)
Obrigado.
Claro que volto ao teu blog, espera-me lá! ;))

Sofia,
além de que a lista de livros a ler é quase infinita! *suspiro*
Agora que começam as aulas, ainda menos leio mas não consigo ler o dia todo, há sempre algo que se mete no meio =/
Tens uma mania como eu, a de ler livros teus! ;) Compreendo-te perfeitamente, porque eu só não gosto de ler, gosto de ter livros! A biblioteca é talvez onde conheço muitos dos livros.

Borboleta,
não que as pessoas não tenham acesso aos livros, mas é uma pena.
Ainda bem que estás a gostar!!! Eu delirei, é a melhor maneira de me exprimir!

Um grande abraço (uf, já respondi! ^_^)

Cristina disse...

Olá, Pedro! Também andei a vaguear pela FNAC nestas férias e fiquei com a mesma sensação que tu. Eu tenho tanto para ler, mas os livros estão expostos quase de forma irresistível... Tive de me conter para não gastar dinheiro, mas alguns já ficaram guardados para o meu aniversário.

As lojas e editoras estão a puxar os preços cada vez mais. Creio que há livros que não justificam tanto dinheiro, tendo em conta o número de páginas. Perde-se a vontade ao ver a contra-capa quase.

Bárbara disse...

FNAC um descampado de livros...livros muita das vezes completamente inuteis inda por cima a preços que realemente....como a biografia do tony carreira...pa estas ferias ri me a grava na FNAC...cada coisa anedotica...onde estao os bons livros, onde estao os escritores, hoje em dia qualquer um publica e escreve umas merdinhas é pa...de mais...onde esta a sensatez de mercado...sei la...hoje em dia detesto comprar livro ou vou la com aquilo que quero especificamente ou entao fazer turismo em livrarias esta cada vez com mais baixa qualidade e cada vez mais caro...felizmente inda existem novas escritores como o Jose Luis Peixoto para colorir....

Iceman disse...

Este último comentário é um mimo.