Meridiano de Sangue, de Cormac McCarthy

Um jovem que vaga pelo sul dos Estados Unidos acaba por se unir a um grupo de aventureiros que pensam fazer razias em território mexicano. Quando o bando é dizimado por Comanches, o rapaz é obrigado a atravessar um deserto até chegar à cidade de Chihuahua, onde é levado para o presídio. É então que é recrutado para uma expedição comandada pelo capitão Glanton, dedicada à caça de escalpes. Sob a prodigiosa influência do Juiz Holden, o grupo vai-se afundando numa espiral de violência, cometendo actos cada vez mais sanguinários...

Cormac McCarthy nasceu em Providence, Rhode Island, em 1933. É autor de uma obra que abarca os géneros gótico sulista, western e pós-apocalíptico. Harold Bloom, um dos críticos literários mais influentes dos Estados Unidos, qualificou o romance
Meridiano de Sangue (1985) como "a obra imaginativa mais impressionante de todas as dos escritores norte-americanos vivos". Outros romances destacados são O Filho de Deus, O Guarda do Pomar, Belos Cavalos, National Book Award em 1992, Este País Não É para Velhos, adaptado com enorme êxito para o cinema em 2007 pelos irmãos Cohen, e A Estrada, pelo qual recebeu o prémio Pulitzer em 2007.
_____________________________________________________________________________________

Não, não estou morto.
Mas como já tinha dito o tempo é tão pouco que não consigo postar nada.
Nem comentar devidamente noutros blogs, o que ainda mais me pesa. Por isso peço desculpa.

No entanto, hoje venho dar a minha opinião de um livro que me ocupou muito tempo, mas mesmo muito de leitura.
Não era para lê-lo agora, mas devido a uma leitura conjunta no Fórum Estante de Livros obedeci à regra e comecei a lê-lo. De facto, é um livro pouco fluido, muito denso mas que, depois de o acabarmos, não deixamos de suspirar fundo, não só porque chegámos ao fim desta terrível odisseia mas por reconhecermos que este é um clássico.

Em 5 estrelas, daria um 4. E notem que não é uma classificação pessoal. 4 estrelas é porque enquanto lia reconhecia o teor de que é feita esta leitura, mas não foi o livro que mais me tivesse agarrado.

Há uma personagem, o juiz Holden, que creio ser uma das melhores personagens que alguma vez qualquer escritor criou. É sobre esse juiz que muito do livro se centra, talvez por ser essa personagem o culminar de todos os mistérios. É, sem dúvida, uma grande honra experimentar ler este livro. E esse juiz vai surpreender-vos até ao fim. No fim.

O estilo deste livro é muito virado para o western.
É uma leitura muito difícil. Não creio que puxe. Cada vez que pegava no livro a vontade não era grande, ainda por cima é tão pouco fluido que a leitura avança a passo de caracol. Mas, uma vez começado, a tendência é para avançar. Trata-se da odisseia de um grupo que atravessa o deserto (o espaço e ambiente central) e nele perpetua os piores massacres que podem imaginar. É extremamente violento, e pessoas com "estômagos fracos" não deverão sequer pegar no livro. A violência é mesmo gratuita, cruel, não há descanso! Poderão pensar "Porquê tanta?", mas só mesmo lendo conseguem chegar a uma conclusão.
É muito profundo este livro. Além da violência, a descrição consegue ser poética, e há muitos diálogos que nos fazem reflectir até bem fundo, de tal modo que algumas vezes não conseguimos atingir a mensagem. Em geral acabamos o livro com a cabeça cheia, mas não totalmente desgastada. De um certo modo, senti-me bem a ler o livro e a explorar o que o autor queria dizer, pelo que a análise conjunta só fez bem.

Aconselho, mas com alguma precaução. Depois de um livro assim, vou querer um LONGO descanso. Foi demais. É um bom livro, mas muito longe de ser um preferido, numa opinião pessoal. Aliás, acho que durante um bom bocado a obra não desenvolve muito, o que a torna ainda mais entediante. Mas mal começa a excitar torna-se viciante, e nos últimos passos das personagens sentimos o frenesim. É muito, muito violento, de vomitar =X Mas muito poético também. É uma obra que possui um grande teor e profundidade, assim como reflexões que nos levam a considerá-lo um primor. Já li algures que "quem escreve um livro como "Meridiano de Sangue" não pode continuar a ser o mesmo escritor. À medida que fui avançando no livro apercebi-me disso. Até ao fim todas as palavras encerram em si uma resposta, uma pergunta, uma moral ou uma reflexão. No final uma série de perguntas assoma à cabeça, para sempre reflectirmos e ficarmos boquiabertos.

12 comentários:

gotinha disse...

É algo para pensar ler, já que o tenho na prateleira a olhar para mim...

Mas parece-me que vou esperar pelas férias para ter a paciência que tu dizes necessária e principalmente tempo disponível, que ele hoje em dia anda escasso...

um abraço!

p.s: comecei agora um novo blog, convido-te a dares uma espreitadela por la...
(=

Canochinha disse...

Pedro, gostei da tua análise! Reflecte bem o que estou a sentir também, apesar de ainda não ter terminado.
Já agora, agradeço a tua participação na Leitura Conjunta, que se está a revelar uma experiência muito, muito interessante :)

Cristina disse...

Estou desejosa de o ler, mas, segundo me conheço, não tenho perfil para a leitura conjunta :)

Butterfly disse...

Pois, sinceramente não me parece que seja o tipo de livro que vá gostar de ler !

Bjinhos e Boas Leituras !

Livros em 2ª Mão disse...

Comecei a ler o teu post com receio que tivesses revelado algo do final do livro, mas felizmente não foi o caso!
É como dizes, o livro não avança muito, é violento a vários níveis, mas deixa sempre uma pontinha de curiosidade, nem que seja para tentar perceber onde o autor nos quer levar. Estou ansiosa pelo final, embora ainda vá demorar mais um pouco, já que simultaneamente, vou lendo outras obras (para desanuviar). :)
Para mim foi um belo início de leitura conjunta! :)))

Beαtriz disse...

Bom, tenho esse livro na prateleira. Devo dizer que a vontade de o ler é pouca, mas.. acho que o vou deixar para as férias, mesmo. Pela tua opinião, se o ler agora, bem... preciso de férias logo a seguir, hein? ;P Ainda vão lá longe.
Boas leituras. :D

JPD disse...

Olá Pedro

Eis um autor que me encheu as medidas.
Apesar de um pouco complicado, «A Estrada» lê-se com muito interesse e, a seguir «Este País Não É Para Velhos» é excelente.
Era só que faltava que não lesse o «Meridiano de Sangue»

Belíssima sugestão.

Um abraço

Pedro disse...

Gotinha,
parabéns pelo novo blog! ^_^ Quando tiver tempo passo comento! =)
Quanto ao livro, é muito bom estares algo interessada... Mas, de facto, é preciso tempo, porque é mesmo cansativo. Será um livro a ler quando bem te apetecer, mas eu esperaria que não houvesse outros livros a interferir a mente ;)

Canochinha,
obrigado! =D Tenho quase a certeza que vais sentir o mesmo quando chegares ao fim... Depois falamos melhor ;)
A Leitura Conjunta é uma experiência nova para mim e tem sido excelente. Acho que nunca teria visto neste livro a obra que vejo hoje se não fosse a discussão ao longo do tempo! Vamos ver para quando está uma nova ;) (mas desta vez imploro por um descanso!).

Cristina,
é bom estarmos desejosos de ler um livro! ;) Mas acho que mais vale ires lendo livros que querias mesmo mesmo ler, e quando "Meridiano de Sangue" te puxar completamente a atenção, então dedica-te a ele (pois é preciso dedicação!).

Butterfly,
é pouco fluido... Mas olha que tem umas descrições muito poéticas, e uma imensidão de passagens que te fazem reflectir profundamente... Talvez não seja o teu tipo de livro, acredito que não, mas não deixo de pensar que no teu blog apareceriam todos os dias passagens do livro ;) Pensa nisso!

Livros em 2.ª mão,
Não =D Nos meus postes do blog não ponho spoilers, está descansadíssima ;)))
Se não fosse essa curiosidade, desistiria talvez (não, não é o meu caso, mas tenho a certeza que se não fosse essa curiosidade ficaria desiludido!). O final não deixará, tenho a certeza, de espantar aos leitores, mas merece uma análise ainda mais profunda. É um pouco... =)
Eu não li outros ao mesmo tempo xP Mas já estou a ler outro mais levezinho =))

Beatriz,
Se a vontade de ler é pouca, não vale muito a pena =/ Lê quando quiseres e estiveres preparada! nas férias sem dúvida deverás ler e gastar o teu tempo nesta obra que tanto o ocupa! Se o leres agora, acho que apenas será um pouco cansativo, principalmente em tempo de escola! =/

Um grande abraço

Lili disse...

Aqui no Brasil acredito que não temos esse livro especifico do autor =/ Mas gostei muito de ter lido seu comentário!

Clara disse...

Bem, parece que é um mal generalizado. Andamos todos com pouco tempo.

Já estava com saudades dos teus posts.

Beijinhos.

Mónica Colaço disse...

Parece-me mesmo o tipo de livro que me ia custar imenso ler. Devido a circunstâncias pessoas acabei por ter de desistir da leitura conjunta e parece-me que foi um acaso que se revelou conveniente uma vez que, se não estou mesmo a gostar de um livro não há nada que me faça lê-lo. Provavelmente seria um que ficaria a meio do caminho.

anaaaatchim! disse...

Bem... parece que sofremos todos do mesmo mal nesta altura do ano: a falta de tempo (para os nossos blogs e para os dos outros também...).

Esse livro parece mesmo muito pesado, e parece também precisar de alguma atenção acrescida? O que é incompatível com a falta de tempo :(

Eu também ando a ler um que estou a achar dificil, mas isso talvez se deva ao facto de não o conseguir ler muito tempo seguido nos dias que correm...

Acho que às vezes gostamos ou não do livro consoante a atenção que lhe podemos dar, não achas?

Numa altura diferente, talvez tivesses gostado mais deste "Meridiano de Sangue"...