Asas, Maçãs e Telescópios - A revolução científica, de Anna Parisi


Continuando o percurso iniciado pelo primeiro volume desta colecção, intitulado "Números Mágicos e Estrelas Errantes - Os primeiros passos da ciência", este "Asas, Maçãs e Telescópios" dá conta das peripécias daquela que muitos consideraram ser a maior revolução científica da história.
Lendo este livro, descobrirás os problemas que Copérnico procurou resolver, as estranhas ideias de Kepler, as dificuldades enfrentadas por Galileu e o mau feitio de Newton. Se estiveres disposto a percorrer o caminho dos raciocínios, das observações, das experiências e das demonstrações destes cientistas, poderás compreender as suas ideias, apontar, com Galileu, o telescópio para o céu, intuir os novos e poderosíssimos instrumentos matemáticos "construídos" por Descartes, Leibniz e Newton, e chegar à formulação da teoria da gravitação universal.
Certos de que esta história não pode deixar de te apaixonar, aconselhamos-te a leitura da sua continuação no volume seguinte da colecção "Eureca!", intitulado "O Fio Condutor - A antecâmara do átomo".

Anna Parisi licenciou-se em Física na Università degli Studi di Roma "La Sapienza" e trabalhou durante cerca de 10 anos em investigação nas áreas da geofísica e da matemática financeira. Desde 1996 que se dedica à divulgação científica e editorial para jovens.

Giorgio Parisi é professor catedrático de Teorias Quânticas na Università degliu Studi di Roma "La Sapienza". É sócio da Accademia dei Lincei e da Academia Francesa. Foi agraciado com a medalha Boltzmann (1992) e com a medalha Dirac (1999), em reconhecimeno pelos seus importantes estudos de física teórica. Giorgio Parisi é o coordenador científico da colecção "Eureca!", de que a Principia publica agora este segundo volume.

Fabio Magnasciutti nasceu em Roma em 1966 e nos anos 80 iniciou a sua carreira de ilustrador. É colaborador de vários jornais, revistas e editoras.
_____________________________________________________________________________________

Neste livro, inserido numa colecção que dá a conhecer a ciência de uma maneira mais simples e divertida, só tenho a dizer: não explicaram nada de maneira simples nem divertida.
Quer dizer, eu compreendo o esforço da autora em transmitir os seus saberes, mas não me parece que tenha atingido o seu objectivo.
Até aconselho "Números Mágicos e Estrelas Errantes", que foi interessante, mas este "Asas, Maçãs e Telescópios" foi imensamente confuso!
Porque será que não gostei? Achei as ilustrações mais rabuscadas? Talvez, mas seria injusto pensar assim... Foi, de facto, uma explicação muito complicada, só mesmo alguém com (muitas) bases é que compreende todos os passinhos da autora e todas aquelas teorias! Decididamente, desiludiu-me!
Portanto, já disse que não é nada simples, aliás é complicado de se perceber, nem lendo devagarinho cada palavra conseguimos entender sem saber antecipadamente do que é que se trata!
Depois, divertido? As poucas piadas que estão no livro são "secas" (desculpem o calão), mas a verdade é que fazem-nos pensar: isto é uma piada? Quando e a que propósito?
Aprendi? Claro que aprendi, muito até, mas sinto-me obrigado a referir, mais uma vez, as colecções d' "Os Horríveis", publicados na Europa-América. Além de explicarem bem, são engraçados.
Agora, voltando ao livro depois de o ler... Acho que, ao fim e ao cabo, vai ser este livro que, no futuro, vai-me explicar essas teorias para estudar. Mas o livro não é para jovens adultos, é para jovens que iniciam os seus passos no saber! Enfim, estou à espera de mais no terceiro volume da colecção (claro, que aqui eu, feito parvo, se comecei tenho de continuar!).

4 comentários:

Cristina disse...

É pena quando lemos um livro e vemos que o autor não conseguiu o seu objectivo connosco. Há escritores que tentam arranjar as formas mais inustitadas para nos cativar e acabam por se perder nas suas próprias artimanhas.

Pedro disse...

É verdade, Cristina. Muito embora a autora pareça interessada e transmita o seu saber, não acho que tenha estipulado uma boa meta (ensinar de forma fácil e divertida)...
Simplesmente não lhe é fácil ou natural explicar as coisas a quem, provavelmente, apenas quer aprender mais, sem ter aquelas bases (que deveria ser ela, mais uma vez, a dar).

Depois de ler o primeiro livro (Números Mágicos e Estrelas Errantes), ainda tinha esperança de ser surpreendido, mas fui desmotivado... Pode ser que o 3.º seja melhor, a ver vamos! =)

João disse...

Navegava pela blogosfera e encontrei um novo "canto" de prazer dedicado a livros, penso que já não se pode dizer que a Internet não promove o "mercado" dos livros!
Gostei imenso do teu blog, "mesmo nada bom", na brinca ele está muito bom!

Em relação a este tópico sobre a colecção "Eureca", sinceramente ainda não a conhecia, mas pelo que li aqui e pesquisei noutros lugares não me parece muito excepcional! Prefiro como já referis-te a Colecção d' "Os Horríveis" da Europa-América da qual tenho vários volumes e todos eles fantásticos e recomendados! Na verdade era só para fortalecer a tua opinião de como a Colecção Horrível é possivelmente muito melhor que a da Eureca, mas talvez ainda nos possa surpreender!
Vou comprar na mesma o primeiro volume da colecção só para conhecer melhor o tipo de escrita!

Continua o Bom Trabalho!

Pedro disse...

Obrigado, João! Continua a passar por aqui e a comentar!

É verdade, a colecção dos Horríveis é muito mais interessante. Esta da Eureca é um pouco mais aprofundada; dão-te fórmulas, matemática, teorias, tudo mais pesado que os Horríveis, que considero puxar mais pela nossa atenção. Acabamos por meter nada na nossa cabeça, enquanto que nos Horríveis sempre ficamos curiosos.

Também dei a minha opinião acerca do primeiro volume da Eureca, que podes também ler e comentar! Pessoalmente, gostei muito mais do primeiro do que do segundo. Acho que deves experimentar, pois devemos sempre ler um pouco de tudo!

Um grande abraço