A Fúria dos Reis, de George R. R. Martin

Atenção!: este poste poderá ter alguns spoilers, por isso aconselho a lerem apenas pela diagonal, se estão interessados em deixar algum suspense até ao fim. No entanto, peço que confiem em mim como sempre, sabendo que tentarei não mencionar muitos factos... Comentem, de qualquer maneira!

"A Guerra dos Tronos é a mais importante obra de fantasia desde que Bilbo encontrou o Anel."
-SF REVIEWS.NET


Quando um cometa vermelho surge nos céus de Westeros encontra os Sete Reinos em plena guerra civil. Os combates estendem-se pelas terras fluviais e os grandes exércitos dos Stark e dos Lannister preparam-se para o derradeiro embate.

No seu domínio insular, Stannis, irmão do falecido Rei Robert, luta por construir um exército que suporte a sua reivindicação ao trono e alia-se a uma misteriosa religião vinda do oriente. Mas não é o único, pois o seu irmão mais novo também se proclama rei, suportado por uma hoste que reúne quase todas as forças do sul. Para pior as coisas, nas Ilhas de Ferro, os Greyjoy planeiam a vingança contra aqueles que os humilharam dez anos atrás.

O Trono de Ferro é ocupado pelo caprichoso filho de Robert, Joffrey, mas quem de facto governa é a sua cruel e maquiavélica mãe. Com a afluência de refugiados e um fornecimento insuficiente de mantimentos, a cidade transformou-se num lugar perigoso, e a Corte aguarda com medo o momento em que os dois irmãos do falecido rei avancem contra ela. Mas quando finalmente o fazem, não é contra a cidade que investem...

O que os Sete Reinos não sabem é que nada disto se compara ao derradeiro perigo que se avizinha: no distante Leste, os dragões crescem em poder, e não faltará muito para que cheguem com fogo e morte!

"Agarra-nos e nunca mais larga. Brilhante!
-ROBERT JORDAN

_____________________________________________________________________________________

Gostaria de dar uma opinião um pouco mais longa sobre este livro. Tentarei ser o mais breve possível.

Confesso que, até agora, achei este o volume mais fraco (embora seja apenas a primeira parte do original segundo livro). Foi o que menos me agradou. Concentrou-se demasiado nas situações bélicas, embora a escrita de Martin continue a mesma: cruel, inesperada. Não posso dizer que não gostei, mas "A Muralha de Gelo" foi, até agora, o que não traiu as minhas expectativas do princípio ao fim. Mas vamos por partes.

Logo desde o princípio que achei o livro muito interessante, e era até dos que tinha mais esperanças. Uma coisa que simplesmente me deliciou neste volume foi que apareceram mais personagens e todas se ligavam estranhamente entre si, o que tornou a história super interessante. No entanto, muitos nomes que apareceram ainda não foram digeridos, porque um ponto negativo neste tipo de livros é que os nomes e casas são tantas que acabamos por deixar algumas para trás, e as descrições nem sempre ficam na memória.
No entanto, como disse, a ligação entre personagens é bestial.

As minhas personagens preferidas mantém-se, embora tenha mudado alguns aspectos: Tyrion continua a ser o melhor, para mim, até porque cada capítulo seu é sempre bom de se ler; Daenerys, que é para mim das personagens mais interessantes, pouco apareceu neste livro, por muita pena minha. Espero que o seu papel seja reforçado na parte dois; Sansa desenvolveu-se muito e tornou-se uma das personagens que mais me atrai, assim como Catelyn; Bran é uma boa personagem mas continua sem em fascinar por aí além, talvez porque nos seus capítulos a história nunca avança muito. O que torna Bran uma personagem que me atrai é a sua ligação ao lobo e a elementos obscuros...; Jon e Arya são personagens que continuo a admirar, embora neste volume não tenha achado especial a sua exploração.

Um grande ponto a favor: a introdução de novos capítulos. Adorei os capítulos de Davos e Theon, simplesmente excelentes. Espero que se mantenham. Também adorei os elementos da nova religião, fabuloso e um golpe de mestre! Fiquei fascinado com esses novos elementos.

A ideia do cometa está bestial, dá à história e às várias personagens um toque de poder e previsão, porque todos dizem uma coisa sobre ele...

Neste livro nota-se em demasia que é apenas parte de um livro original, até porque é mais uma preparação do que propriamente avanço da história. Um ponto a menos pela editora ter dividido os livros, para depois no final de cada um deixar-nos a roer as unhas por expectativa... =D

A meio do livro, comecei a achar um pouco entediante, embora não tenha perdido a fluidez! Simplesmente a acção não desenvolve muito, a história é um pouco lenta (e as personagens é que fazem com que o leitor não largue o livro). Como já disse, as questões de guerra são as mais abordadas, portanto a fantasia é deixada muito de lado.
Gostaria de ler mais sobre os lados da Muralha, que ainda tem muito que contar.
Já depois de metade do livro, o ritmo regressa e acabamos ansiosos por saber o que vem a seguir, e eu já estou a matar o bicho da curiosidade lendo o quarto livro! Acho que esse vai ser simplesmente chocante, aliás, espero que seja o melhor...

E pronto, aqui mencionei alguns pormenores. Acho que este livro merece alguma discussão, portanto aconselho urgentemente a começarem a ler a saga, porque vale a pena!

14 comentários:

Canochinha disse...

Concordo plenamente com a tua opinião. Mas é importante notar que este livro contém a preparação para o que vai acontecer em "O Despertar da Magia", daí que tenha partes mais mortas. De certeza que vais gostar mais do 4.º volume e do 5.º então nem se fala ;)

Pedro disse...

É verdade que achei a parte mais parada, com a história a desenvolver-se muito lentamente, mas como dizes é uma preparação para a próxima parte, e pelo que tenho lido "O Despertar da Magia" vai arrebentar. =D Estou com as expectativas muitíssimo elevadas, espero que sejam ultrapassadas!!!

Borboleta disse...

Estás mesmo a gostar desses livros! :D Ontem vi o 4.º volume à venda, mas como não consegui encontrar o 1.º achei melhor não comprar. Mais vale começar pelo início... :)

Liliane Cristine disse...

Estou ansiosa para conhecer essa saga. Parece ser muito boa!

Será que George R. R. Martin lembra o estilo de Bernard Cornwell? Devido as guerras e tal. Ou mais o estilo fantástico de Juliet Marillier? Bom, qualquer dos dois se tiver um pouquinho que seja, é uma ótima sugestão. Espero que aqui no Brasil chegue logo...

Abraço

Pedro disse...

Borboleta,
sim, estou a gostar. =)
Também te aconselho a ler a partir do primeiro. Eu, então, sou daqueles que não gosta de ler nada a partir do meio, se é uma saga (ou mesmo livros relacionados), então que seja a partir do primeiro ponto da história.

Liliane,
sim, é uma excelente saga.
Quanto ao estilo, acho que Martin consegue criar algo que é seu, natural... Mas aproveitando as tuas comparações: não acho nada parecido com Marillier, os livros dela têm outro sabor; não experimentei ainda Cornwell, mas pelo género de livro que sei que é, acho que é um pouco mais cruel... Portanto, Martin já tem um estilo que é seu!

Iceman disse...

Excelente opinião.

Este volume, confesso, não me está a atrair tanto e por duas simples razões:

1ª porque a história embora me tenha agradado até ao 2º volume (aquele que acabei há dias), não me tem deixado a suspirar pela sua continuação.

2º porque tenho vários livros em lista para comprar e todos eles bem mais atractivos, até porque continuo a achar abjecto a forma pouco ética como a a editora tem tratado os leitores desta saga.

Iceman disse...

Só uma achega ao que a Liliane Cristine refere.

Martin é muito diferente de Cornwell. Cornwell é mais realista, vigoroso, cruel e violento. Martin aposta na vertente mais realista e as suas descrições de batalhas, comparadas com Cornwell é mais light.

Pessoalmente prefiro, de longe, Cornwell.

Iceman disse...

Perdão, queria dizer que Martins aposta na vertente mais fantasista

marcia disse...

Já li várias opiniões sobre esta saga e estou curiosa por entrar também neste "mundo" de martin. Tenho o 1º volume a espera de ser iniciado, mas realmente tenho andado a ler outro tipo de coisas...

Pedro disse...

Iceman,
claro que te aconselho a ler este livro, embora, e conhecendo as tuas leituras, creio que poderás chegar a meio sem grande entusiasmo... E deixar de lado.
Mas tenho de te dizer uma coisa: este livro, ao contrário dos outros, concentra-se muito mais na guerra em si, no conflito entre reis. A leitura não deixa de ser fluida, e por isso sempre te aconselho a seguir a saga, nem que seja para mal dizer. =D
Se tens outros que queres ler, quem sou eu para te impedir? ^_^ Mas é de referir que, mais uma vez, o autor esquece-se um bocado do seu lado fantástico, e outra vez apenas tem grande destaque no princípio e no fim do livro... Por isso, experimenta ;)

Marcia,
eu tinha o primeiro livro há algum tempo e fui adiando com algumas leituras... Até que peguei nele, e fui ficando rendido á série. =)

srd disse...

Excelente análise e comentário. Parabéns.

Quanto ao livro em si concordo que de todos (até ao momento) é o que fica mais aquém da expectativa e onde se nota mais que é a metade do original ... os próximos 2 são muito, bons ;)

Pedro disse...

Srd
obrigado! 0)
Bem espero que sejam bons, embora ache que neste "A Clash of Kings" Martin esteja a deixar as revelações e emoções todas para o fim! bem que podia ir atando algumas pontas soltas ao longo do livro, talvez ganhasse mais interesse.

srd disse...

Oh!
Ele não vai atar as pontas, e ainda vai deixar mais umas quantas.... :D

Quanto a serem melhores, podes confiar, especialmente o "Tormenta de Espadas" ;)

Beαtяiz disse...

Bem parece ser uma saga interessante. Agora estou curiosa! Bem, cada vez que venho a este blog acrescento mais uns poucos de livros na minha lista "A comprar", ai, assim não pode ser. :P Hehe.